Bem Vindo ao Blog do Pêga!

Bem Vindo ao Blog do Pêga!

O propósito do Blog do Pêga é desenvolver e promover a raça, encorajando a sociedade entre os criadores e admiradores por meio de circulação de informações úteis.

Existe muita literatura sobre cavalos, mas poucos escrevem sobre jumentos e muares. Este é um espaço para postar artigos, informações e fotos sobre esses fantásticos animais. Estamos sempre a procura de novo material, ajude a transformar este blog na maior enciclopédia de jumentos e muares da história! Caso alguém queira colaborar com histórias, artigos, fotos, informações, etc ... entre em contato conosco: fazendasnoca@uol.com.br

sábado, 28 de abril de 2012

Criação de jumentos lácteos

 

image

Criação Monte Baducco, jumentas voltado do pasto
recebendo alimentação (foto F. Paolicelli)

Considerações sobre a criação de jumentas para a produção de leite


Hoje, dezenas de fazendas na Itália estão envolvidas na produção de leite de jumenta, um novo emprego para algo muito antigo, já conhecido entre o povo egípcio. Este leite agora tem uma utilização nobre como um produto lácteo para pessoas alérgicas à proteína do leite de vaca, e a bebês órfãos ou filhos de mulheres sem leite que de outra forma não tem um leite adequado para tomar, Esses bebês podem ser alimentados com o leite de jumenta, pois é o mais parecido com o leite materno humano. A abundância desses animais é necessária para a exploração agrícola destinada à produção de leite. A situação atual é muito diferente, a mecanização da agricultura eficiente reduziu o número de jumentos drásticamente, de modo que podemos considerar todas as raças de jumentos italianos em alto risco de extinção. Dá para sentir a necessidade de ampliar a criação destes animais, a fim de atender a demanda de leite e iniciar um novo negócio a partir de um animal "esquecido".

Dispor de um leite natural e de alto poder hipoalergênico é definitivamente uma vantagem levando em conta os cerca de 15.000 crianças nascidas a cada ano na Itália com várias alergias contra caseína e outros elementos do leite. A possibilidade de introduzir com sucesso leite de jumenta na dieta dos bebês é suportado pelo seu perfil bioquímico, semelhante ao do leite humano, de fato, as semelhanças são quali-quantitativas. As únicas diferenças, referem-se ao teor de lipídios, o leite de jumenta é mais fina do que o bovino, portanto, apresenta um valor mais baixo de energia, mas essas reduções são facilmente controladas com adições adequadas ou pode-se ao longo do tempo selecionar os animais para esse critério específico. A possibilidade do uso do leite de jumenta, não se limita apenas à população pediátrica, pois o produto está ganhando mais apoio geriátrico também em alimentos e cosméticos. A composição bioquímica deste leite é caracterizada pela presença de proteínas do soro, biopeptides activas, ácidos graxos tais como ácidos linoleico e linolénico em classe omega 3 e ómega 6 e grande quantidade de lactose, tornando-se particularmente adequado para estas utilizações.

image

Jumento da raça Ragusana, uma das raças mais indicadas
para a produção de leite (foto Alessio Zanon)

A Sicília é a região que mais tem preservado a tradição do jumento, e que atualmente detém o maior número de fazendas asininas do país, muitas das quais são projetadas para a produção de leite. Geralmente, uma manada de jumentos consiste em média de 20/25 animais com 1 ou 2 garanhões. As raças mais utilizadas para a produção de leite, são as mais pesadas​​, tais como raça Martina Franca e a Ragusana, mais adequadas simplesmente por uma questão lógica, porque a quantidade de leite produzido está relacionado com o tamanho do animal, neste tipo de fazenda existem mestiços ou animais que são o resultado de cruzamentos, certamente menos caros, mais flexíveis e ideal para iniciar tais atividades.

 

O jumento é um animal rústico, pouco exigente, que permite fácil adaptação, na maioria dos casos aplica-se uma técnica de criação semi-selvagem, uma gestão econômica. A ordenha pode ser realizada manualmente, ou de forma mais eficiente com o uso de um sistemas mecânicos utilizados para os ovinos e caprinos. Os ambientes utilizados para este fim, devem ser submetidos aos protocolos sanitários normais, mesmo para os animais mais comuns. A mama da jumenta difere da mama da vaca ou da cabra pois não possui um "tanque", uma cavidade intermammaria com a função de recolher o líquido libertado a partir de tecido glandular. Na jumenta, uma vez que não há qualquer possibilidade de armazenamento, a quantidade de leite obtido em cada ordenha é muito mais baixa do que os fornecidos pelos ruminantes. A quantidade média de leite obtido em cada ordenha pode variar de 300-750 ml com picos de 1200, 1500 ml em relação ao tamanho e tempo de mama do filhote. A melhor maneira de obter uma maior quantidade de leite por dia a partir de um jumento é imitar o modo como se alimenta o jumentinho, muitos mas pequenos atos de sucção, sugiro ordenhar as jumentss três vezes por dia, proporcionando assim um estímulo contínuo para a produção de leite. Na ordenha, por vezes, a presença do filhote é crucial para a libertação de leite quando se começa a ordenha, para remediar esta situação é usada a prática de separar o potro da mãe imediatamente após a ingestão de colostro no primeiro dia. Os potros serão alimentados ao biberão com leite artificial ou com o próprio leite da mãe.

Atualmente, as leis que regem a venda de leite de jumenta são parte de um antigo decreto real, segundo o qual se permite a venda de leite em locais adequados no próprio local de produção do leite. Por isso estão excluídos a priori, os canais mais comuns de vendas, o que penaliza a propagação deste produto, e inevitavelmente leva a redução do comércio. A forma mais lógica de venda, portanto, é a ordenha  da quantidade de leite necessária para a venda direta diária, o que permite vender um produto sempre fresco e evitar estoques desnecessários.

image

Matriz da raça Ragusana com um carrinho de máquina de ordenha,
comumente usado para ovinos e caprinos (foto F. Paolicelli)

 

Os principais compradores do leite de jumenta são compradores privados que o compram para fins pediátricos. De acordo com uma pesquisa realizada pela latteDIasina.it 63% dos pedidos de leite são para crianças e tem aumentado o número e frequência de pedidos de clínicas pediátricas, ele é vendido a um preço que varia entre 7 e 10 euros, e é um produto que é geralmente adquirido em grandes quantidades, pois se bem preservado a 4°C pode ser mantido durante longos períodos, mas quando descongelado deve-se prestar atenção para que a temperatura de descongelamento não ultrapasse 70°C, a fim de evitar a perda de proteínas do soro.

 

A fatia das vendas de leite de jumenta, definitivamente menor que outros leites, mas não menos importante, diz respeito à indústria cosmética. Após as aspirações da beleza de Cleópatra e Poppea, a indústria de cosméticos agora produz alta qualidade de sabonetes que são capazes de dar brilho adicional e suavidade à pele, também grandes quantidades de leite são usados ​​para preparar banhos mornos em centros de beleza para quem quer reviver os banhos lendários no leite das jumentas.


A criação de jumentas está se tornando, cada vez mais importante, o leite é colocado no mercado como um produto de nicho, mas o potencial é realmente alto, o que é fácil de entender.

 

Artigo original em italiano, peço desculpas por qualquer erro de tradução. Fonte: Philip Paolicelli, Rivista di Agraria

3 comentários:

  1. Somos um classificado de produtos e serviços rurais, e estamos à procura de criadores que queiram divulgar seus animais para os nossos clientes, é gratuitamente sem custo, são mais 2.000 visitantes dia.
    Nosso site: www.invistanegocios.com.br – Anuncie Grátis

    ResponderExcluir
  2. Bom dia estou comesando a produzir leite de jumentas em minas Gerais tenho interresa de legaliza meu leite

    ResponderExcluir