Bem Vindo ao Blog do Pêga!

Bem Vindo ao Blog do Pêga!

O propósito do Blog do Pêga é desenvolver e promover a raça, encorajando a sociedade entre os criadores e admiradores por meio de circulação de informações úteis.

Existe muita literatura sobre cavalos, mas poucos escrevem sobre jumentos e muares. Este é um espaço para postar artigos, informações e fotos sobre esses fantásticos animais. Estamos sempre a procura de novo material, ajude a transformar este blog na maior enciclopédia de jumentos e muares da história! Caso alguém queira colaborar com histórias, artigos, fotos, informações, etc ... entre em contato conosco: fazendasnoca@uol.com.br

terça-feira, 27 de abril de 2010

O que são Jumentos, Mulas, Burros, Muares, Bardotos???

Nas feiras e exposições sempre aparecem aquelas crianças cheias de curiosidade, querendo saber tudo sobre os animais que estamos expondo, é normal não conhecerem nada, não saberem diferenciar uma cabra de uma ovelha, um burro de um jumento, etc… afinal a maioria das crianças não cresce no campo e só vê animais nesses eventos. Mas o que me deixa de queixo caído são os profissionais e estudantes da área que assim como as crianças não tem nenhuma noção. Quantas vezes já ouvi perguntas de estudantes de veterinária e até mesmo veterinários experientes do tipo: o jumento vem do cruzamento da mula com o cavalo? O burro é filho da mula com o jumento? Para essas pessoas jumento, jegue, mula e burro é a mesma coisa, e bardoto provavelmente é um xingamento…

Percebi que o que falta a essas pessoas é informação, pouco se encontra sobre jumentos, especiamente em português. Até mesmo na internet, é dificil escontrar essas informações.

O Jumento

   wild asses donkey
O Jumento (Equus asinus) é uma espécie do gênero Equino, que de acordo com Darwin deve ter sugido da variedade selvagem Asinus toeniopus, encontrado na Abissínia, Núbia e outras partes do Nordeste Africano que ficam entre o Nilo e o Mar Vermelho. O Asinus toeniopus, ou jumento selvagem africano, como também é conhecido, tem os pés listrados (listras de zebra como o pessoal que lida com esses animais costumam chamar), as cores e marcas lembram muito as diversas raças de jumentos domésticos que podem ser encontrados mundo afora, as orelhas destes são mais longas do que as dos jumentos asiáticos. Sua atividade e velocidade não pode ser comparada com as dos jumentos domesticados, pois estes últimos tiveram estes atributos negligenciados por séculos.

“Aqueles que só viram jumentos civilizados não fazem ideia da beleza do animal selvagem/original. Estes são a perfeição em atividade e coragem. Eles produzem um comportamento altamente ativo,  e passadas bastante ativas quando trotam livremente sobre areias e rochas, com a velocidade de um cavalo quando galopa pelo deserto sem fronteiras. Os especimes presentes no Jardim Zoológico permitirão que qualquer pessoa perceba o caráter do animal como era antes de ser alterado por gerações no cativeiro”. (Sir Samuel Baker, 1821 –1893)

zedonk donkey zebrass

O zurro do jumento selvagem africano é idéntico ao nosso jumento, e Darwin inclusive notou a aversão que esses animais tem em passar por riachos, a mesma caracteristica que possui o jumento domestico. Essa é uma indicação que os jumentos domésticos são de uma linhagem oriunda do deserto, o que é reforçado ainda pelo prazer que esses animais tem em rolar na areia.

Alguns autores, no entanto, acreditam que o jumento doméstico é descendente do Onager, que habita o deserto montanhoso de Tartary (nome utilizado para o pedaço de terra que se estendia pela Asia Central, do mar do Japão ao mar Cáspio); outros acreditam que o animal veio do kiang ou djiggetai (Asinus hemionus) do suldoeste Asiático. Hoje, tanto o jumento selvagem africano quanto o Onager, se encontram em extinção.

Jumentos selvagens vivem normalmente separados uns dos outros, ao contrário dos cavalos selvagens que tendem a viver em rebanhos, pois ocupam áreas desérticas onde a comida é geralmente escarça. Por esse motivo os Jumentos desenvolveram vocalizações muito altas, que ajudam a manter o contacto com outros jumentos sobre os amplos espaços do deserto. A voz do jumento pode chegar a até três kilômetros, razão também pela qual as orelhas destes são maiores do que às dos cavalos, permitindo a estes ouviram mais facilmente seus vizinhos distantes. Os jumentos usam também as orelhas como uma forma de comunicação visual, sem falar que elas devem ajudar a dissipar um pouco do calor do deserto. Os jumentos tem um sistema digestivo forte, o que diminui a possibiliadade de cólica, e que pode digerir vegetações por muitos como não comestíveis e ao mesmo tempo tirar e guardar a umidade encontrada nessa vegetação.



Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Perissodactyla
Família: Equidae
Género: Equus
Espécie: E. asinus
Nome binomial Equus asinus
 
Os jumentos foram inicialmente domesticados por volta de 4500 á 3000 ac, aproximadamente na mesma época que o cavalo, e se espalharam ao redor do mundo. Eles continuam a preencher papéis importantes em muitos lugares hoje e espécies domesticadas estão aumentando em números.

A maneira politicamente correta de se referir ao Equus asinus, é chama-lo de jumento(a), outros termos como asno ou  jegue tendem a ofender criadores. Jegue no Brasil só deve ser utilizado para se referir ao Jumento Nordestino.

Donkey-01.jpg

O Jumento é um mamífero perissodátilo de tamanho médio, focinho e orelhas compridas, utilizado desde tempos pré-históricos como animal de carga. O jumento macho já está maduro aos dois anos (mas muitos criadores não recomendam utiliza-lo como reprodutor antes dos 3 anos), as fêmeas amadurecem antes disso. As jumentas carregam suas crias por cerca de 12 meses (mas a gestação pode variar de 11 a 14 meses), e normalmente tem apenas uma cria por gestação. Raramente acontecem gestações duplas (1.7%) e estas, quando acontecem, normalmente acabam com um, ou com os dois filhotes mortos, ambos os gêmeos sobrevivem em apenas cerca de 14% dos casos. A maioria dos burros domésticos variam de 0,9 a mais de 1,4 m de altura, embora algumas raças cheguem até 1,6 m de altura.

O Burro, a Mula e o Bardoto (Muares)


Há séculos que é feito o cruzamento entre jumento e a égua, ou a jumenta e o cavalo. Esse cruzamento resulta em um híbrido denominado muar ou mu, com características de ambas as raças: robustez, capacidade de adaptação a caminhos acidentados e a meio ambiente adverso, docilidade; pernas mais longas e, portanto, maior velocidade, maior facilidade de treino.

O Burro é o indivíduo do sexo masculino resultante do cruzamento de um jumento com uma égua, Equus caballus. O animal fêmea resultante do mesmo cruzamento é chamado Mula. Entretanto, o cruzamento das mesmas espécies porém invertidos os sexos (portanto cavalo e jumenta), dá origem a um animal diferente, o bardoto.
 











Estes híbridos são quase sempre estéreis devido ao fato do cavalo possuir 64 cromossomos, enquanto que o jumento possui 62, resultando em 63 cromossomos. São raros os casos em que uma mula tenha parido, com efeito, desde 1527, data em que os casos começaram a ser arquivados, apenas 60 casos foram registrados.

Os muares são, desde tempos remotos, simultaneamente utilizados no meio rural para auxiliar nas tarefas agrícolas e para transporte.

3 comentários:

  1. ai valeu mesmo eu so queria irar essa duvida mesmo valeu esse site e otimo!!

    ResponderExcluir
  2. thaaanks tinha essa duvida hehe

    ResponderExcluir
  3. Post muito bem feito, explicação perfeita! Parabéns..

    ResponderExcluir